Witchcult Today – Mais 13 bandas de Occult Rock com vocais femininos Listas

Witchcult Today – Mais 13 bandas de Occult Rock com vocais femininos

5 de Abril de 2018 | Monique Monteiro

No ano em que Coven vem pro Brasil, nada melhor do que uma listinha de bandas influenciadas, direta ou indiretamente, pela primeira banda a tratar de satanismo em suas músicas e se assumirem satanistas, e também a primeira banda a trazer o “maloik“, ou a “mão chifrada”, para o cenário do rock/metal, fato pelo qual Jinx Dawson, líder do Coven, ameaçou processar Gene Simmons quando ele anunciou que ia registrar direitos comerciais sobre o símbolo – e não, não foram o Dio e sua avozinha italiana os pioneiros.

Se você gostou da primeira lista, vai adorar a segunda!

13) Mount Salem

Mount Salem é uma banda de Rock Psicodélico/Doom Metal que trata de temas relacionados ao ocultismo, sonhos lúcidos (“Lucid”), possessão (“Full Moon”). A voz melodiosa, quase infantil, de Emily Koplin, contrasta de uma forma interessante com o instrumental. Infelizmente contam com apenas um EP, Endless, independente, mas a banda assinou contrato com a Metal Blade. Vamos torcer por novidades em 2018.

12) Saturnine

As italianas da Saturnine fazem um Black/Doom Metal, com vocais guturais, ótima pra quem curte Doom tradicional. Em seu debut, Mors Vocat, falam sobre o instinto de autodestruição do ser humano e da iminência do apocalipse. Aliás, “apocalíptico” é como eu classifico a sonoridade dessa banda composta exclusivamente por mulheres. Uma vez, eu li por ai num blog já falecido, que a banda até é boa, mesmo que tenha só mulheres o que eu achei engraçado porque elas são muito melhores que muita banda só de marmanjo por ai.

11) The Sabbathian

Side-project do Chad Davis (Hour of 13), The Sabbathian é uma banda de Doom Metal que conta com os vocais da norueguesa Anette Gulbrandsen (ex-Mandylion e Nàttsòl). Recentemente, anunciaram a participação de Liv Kristine em seu novo álbum, mas que ainda está sem data de lançamento.

10) Satyress

Satyress faz um Doom/Stoner tradicional e sem muitos enfeites, com algumas faixas do seu Dark Fortunes puxando para o psicodélico. O excelente instrumental e a poderosa voz de Jamie LaRose faz da Satyress uma banda bem f**a que deve entrar para a sua playlist!

9) Luciferian Light Orchestra

O Luciferian Light Orchestra é um side-project de Rock Psicodélico/Stoner Metal do Christopher Johnsson (Therion), com sua esposa, a vocalista, Mina Karadžić. As letras são inspiradas no exploitation ocultista da década de 1970, bem como o próprio som da banda, também inspirado no rock dos anos setenta.

8) Devil Electric

Devil Electric é uma banda de Heavy/Doom da Austrália, inspiradíssima em Black Sabbath (que dúvida, né?). Seu debut, Devil Electric, lançado em 2017, obteve boas críticas, em especial pelo som conciso das músicas e pela forma como a vocalista Pierina O’Brien comanda as faixas (essas O’Brien são realmente boas ;}).

7) Death Penalty

Projeto de Michelle Nocon (Bathsheba, ex-SerpentCult) com Gaz Jennings (ex-Cathedral), Death Penalty explora uma faceta mais dinâmica de Michelle – enquanto Bathsheba é mais introvertida e sombria. Segundo a própria Michelle, as duas bandas representam diferentes versões dela mesma. E corrigindo um erro meu na lista anterior, a Bathsheba que dá nome à banda é a esposa do bíblico rei Davi.

6) Occultation

Trio novaiorquino que faz um Doom Metal muito bem trabalhado. A forma como a banda aborda o ocultismo em suas letras remete a algo cósmico e ancestral, bastante misterioso e com uma atmosfera sombria. A vocalista, Annu Lilja, tem um timbre que lembra bastante o da Siouxsie Sioux.

5) Purson

Banda inglesa de Rock Psicodélico, liderada por Rosalie Cunningham. Ela queria um nome de um deus (provavelmente pagã0), e como não achou, escolheu o nome de um dos Reis do Inferno da Goetia. A inspiração principal da banda são os filmes de horror da década de 1970, o folk horror e nos filmes da produtora inglesa Hammer Films. Segundo o site da sua gravadora, a Metal Blade Records, Purson é o elo perdido entre Pentangle e o Pentagram, o que é uma comparação bastante acertada. Infelizmente, a banda encerrou as atividades no ano passado, deixando dois álbuns e dois EPs sensacionais.

4) Ruby the Hatchet

Ruby the Hatchett tende ao Stoner Rock/Metal mais psicodélico, com riffs e refrões que grudam na mente. A versátil Jillian Taylor (assim como Emily Koplin, do Mount Salem) mostra que nem só de vozes profundas e fantasmagóricas vive o Stoner.

3) Windhand

Começo dizendo que Windhand é uma das bandas que melhor representam essa lista. Além da vocalista Dorthia Cottrell ser uma das vozes mais elogiadas da cena Doom/Stoner, o Windhand captura a essência do Occult Rock/Metal em suas letras, muitas vezes de forma bastante visual, com uma atmosfera sombria e onírica, liderado pela “bewitching” voz de Dorthia (desculpem usar a expressão em inglês, mas não encontrei uma que traduzisse bem essa ideia).

2) Demon Lung

Demon Lung vem na onda de bandas como Trouble e Candlemass (essa, segundo a vocalista Shandra Fredrick, é a real inspiração para a banda, além de Jinx Dawson, do Coven, e Jex Thoth) e faz um Doom Metal obscuro, focando em clássicos de horror (“Sour Ground”, “Lament Code”, do EP Pareidolia, todo o conceito do álbum The Hundreth Name, baseado no filme Warlock), no ocultismo e satanismo. A capa do álbum The Hundreth Name é um hino por si só. As melodias são bem construídas e a voz de Shanda Fredrick é potente e melodiosa.

1) Jess and the Ancient Ones

Direto da Finlândia surge Jess and the Ancient Ones, que mistura o satanismo do Coven com a psicodelia do Jefferson Airplane. Como vimos na entrevista com o JP Leppäluoto, o metal anda meio em baixa por lá, mas ainda bem que algumas bandas seguem firmes, como JATAO, que segue uma linha bastante 70’s. As letras exploram temas ocultos, não com uma roupagem macabra, mas num clima de viagem astral e LSD. E eles tem uma cover de “White Witch of Rose Hall”, do Coven, que é ótima!

Curtiu e quer ouvir mais? Tem uma playlist especial no Spotify!

Monique Monteiro

Monique Monteiro

Historiadora aficcionada por História tardo-antiga e medieval. Adora cinema de horror, Tolkien, Lovecraft, Edgar Allan Poe e Arquivo X. Não consegue ficar sem música e brinca com todos os gatos que encontra.

Topo ▲