10 músicas inspiradas pela ciência Listas

10 músicas inspiradas pela ciência

5 de Março de 2018 | Gabriela Fernandes

Eu tenho duas grandes paixões na vida: a primeira, é claro, é o Heavy Metal, e a segunda é a ciência, e acredito que muitos outros headbangers sejam como eu. Não só acredito, como posso provar aqui por A + B que o Metal se dá muito bem com ela. Além dos assuntos de sempre, como política, fantasia e religião (capirotagens inclusas), ultimamente a música pesada também tem abordado um tema bastante contemporâneo: o mundo dos experimentos, teorias e lógica.

A astronomia e o fascinante universo macro lidera no ranking das ciências exatas mencionadas nas novas músicas de Metal, mas nessa lista vamos até o micro universo celular. Matemática, biologia e até mesmo computação têm ganhado dedicatórias de nossas amadas bandas pesadas. Confira abaixo 10 músicas que foram inspiradas por essas incríveis áreas do conhecimento.

1) The Greatest Show On Earth (Nightwish)

Abrindo essa lista com um épico de 24 minutos, o último trabalho da banda de Metal Sinfônico pode até ser controverso (eu diria até de qualidade discutível), mas é inegável que os finlandeses do Nightwish prestaram lindas homenagens à ciência em Endless Forms Most Beautiful. O disco em si é inspirado, principalmente, pelas teorias da evolução, fechando esse capítulo com a magistral “The Greatest Show On Earth”, com a participação de ninguém menos que Richard Dawkins. Menção honrosa à “Sagan”, música que está no EP do Single “Élan” e que presta homenagem ao incrível Carl Sagan.

2) The Cosmic Algorithm (Epica)

Outra banda de Metal Sinfônico, o pessoal do Epica também se apaixonou pela ciência, assim como nós. Desde Design Your Universe, de 2009, algumas referências apareciam sobre o assunto, como em “Kingdom of Heaven”. Mas foi com o álbum de 2014, The Quantum Enigma, que a banda decidiu explorar mais o universo dos números. No último disco tivemos até uma música dedicada à computação, numa alusão ao uso de computadores que auxiliam as pesquisas e descobertas sobre o Cosmos.

3) I Speak Astronomy (Jinjer)

O título de I Speak Astronomy” é bastante intuitivo. Com uma letra recheada de referências sobre astrofísica, o Jinjer explora na música os buracos negros, supernovas, matéria negra e o horizonte de eventos numa narrativa muito bacana que relacionam as teorias com a nossa própria existência. Vale a pena dar uma olhada no clipe, inclusive, que se encaixa perfeitamente com o contexto da música!

Se você não conhece o som do Jinjer, dá uma conferida nesse post da Amanda Dugin.

4) Lateralus (Tool)

“Lateralus” não fala sobre asteroides, planetas, células, nem nada parecido. O tema central da música, assim como a maioria das canções presentes no álbum homônimo de 2001, é a transcendência, a evolução da mente humana. Então por que a música está na lista?

Essa música do Tool foi composta seguindo a Sequência de Fibonacci, uma sequência numérica onde cada termo é a soma dos dois anteriores. Os primeiros números da sequência são 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13. Nas estrofes de “Lateralus”, cada verso apresenta o número de sílabas igual ao da sequência, crescendo e decrescendo na ordem proposta pelo matemático. Veja um exemplo:

Black (1)
Then (1)
White are (2)
All I see (3)
In my infancy (5)
Red and yellow then came to be (8)

5) The Essence (Vintersorg)

Vintersorg nos mostra que o Folk Metal não vive só de florestas, vikings e bebida. “The Essence”, do álbum de 2004 The Focusing Blur, tem uma letra super inteligente que entrelaça conceitos da biologia, química e física, citando grandes nomes como Einstein e Newton, além de propor uma reflexão à cerca da busca pelo conhecimento no geral.

6) The Observer (Haggard)

Haggard prestou uma belíssima homenagem ao grande Galileu Galilei no disco Eppur Si Muove, de 2004, onde a vida e carreira do brilhante astrônomo italiano é narrada do início ao fim. O álbum tem bastante versos em italiano, portante escolhi “The Observer”, uma das poucas canções inteiramente em inglês, mas vale a pena conferir o disco completo.

7) The Origin of Species (The Ocean)

Numa clara referência à Origem das Espécias, obra mais icônica do biólogo Charles Darwin, o The Ocean discute na música a Teoria da Evolução. Presente em Heliocentric, de 2010, o disco conceitual consiste na crítica ao Cristianismo utilizando várias vertentes filosóficas, abordando a ciência como um dos pilares. O disco faz referência à outros cientistas, como Giordano Bruno, Galileu e Nicolau Copérnico, além de também abordar Nietzsche e outros filósofos.

8) Chemistry (Rush)

O rock progressivo do Rush também pegou umas ideias da ciência, mas dessa vez de forma mais romântica. “Chemistry” é mais clichezinha, relacionando a química com o que sentimos quando estamos apaixonados (“há uma química entre nós”). Mas a música é cheia de referências científicas bacanas que não se vê em muitas canções (e foi a única que eu consegui lembrar quando se trata dessa área).

9) The Great Debate (Dream Theater)

“The Great Debate”, do Dream Theater, coloca na mesa a dualidade moral e a polêmica sobre cirurgias e transplantes da medicina. Para os conservadores, esses tipos de “experimentações” seriam imorais, pois são vistos como uma violação à integridade humana, porém a música faz uma reflexão sobre a necessidade de evolução da medicina no intuito de usar essa tecnologia pra melhorar a vida humana (por exemplo, fazer um paraplégico andar novamente).

10) Exist (Avenged Sevenfold)

Pode desfazendo essa cara feia! Se você tem algo contra o Avenged Sevenfold, ouça “Exist”, um épico de 15 minutos do novo álbum, The Stage. A música foi composta de forma que cada segmento correspondesse à uma fase da evolução do Universo, desde o pré-Big Bang até a formação da vida na Terra. Além disso, “Exist” tem a participação do ilustre Neil DeGrasse Tyson num belo discurso sobre a grandiosidade do Cosmos.

Confira a nossa playlist no Spotify:

Conhece mais alguma música inspirada pela ciência? Fala pra gente! Quem sabe não rola uma Parte 2?!

Gabriela Fernandes

Gabriela Fernandes

Carioca da gema, estudante de química e ouvinte apaixonada de música pesada. É a louca do metal progressivo e adora enaltecer as bandas favoritas na rodinha dos amigos. Seguidora de George R. R. Martin e admiradora de universos fantásticos em geral. Acredita que uma boa pizza resolve tudo.

Topo ▲