Por dentro do Moshpit: Festival Rock on Heels Por dentro do Mosh Pit

Por dentro do Moshpit: Festival Rock on Heels

8 de novembro de 2017 | Stephany Nusch

Quem frequenta a cena nacional ou trabalha com música sabe como é difícil ser levado a sério ou ter seu trabalho reconhecido como… bem, um trabalho. Algumas bandas começaram a se manifestar para levar eventos de qualidade para suas cidades ou até para o Brasil inteiro. Nos mesmos moldes, as bandas Anfear e Valiria esquematizaram o festival Rock on Heels. Ele acontece neste sábado (11) no Espaço Som, em São Paulo. Confira o teaser do evento:

Como nasceu o Rock on Heels?

Fizemos uma entrevista rápida com as duas bandas para entender um pouco mais a proposta.

HM: ‎Qual foi a motivação para que vocês decidissem esquematizar esse festival? Como as bandas se conheceram? Foi difícil entrar em acordo?

Anfear: A nossa maior motivação foi o desejo de melhorar a qualidade das nossas apresentações. Buscamos arduamente uma melhoria na qualidade sonora, tempo de palco e no bem estar do nosso público. Além de buscar um espaço mais focado para as bandas que tem uma sonoridade parecida com a nossa, com influências de rock, gothic metal, metal sinfônico, metal melódico e com o vocal feminino. Mantendo esse pensamento, a probabilidade de todos saírem satisfeitos com ambos os shows é maior.
Nos conhecemos por indicação de amigos que compararam as duas bandas pela similaridade do som. Entrar em contato foi fácil, difícil foi bater as agendas das duas bandas (rsrs).

Valiria: Não foi difícil entrar em acordo porque queremos o mesmo, oferecer um show com a melhor qualidade possível para o público brasileiro.

Anfear: Sim, apesar dos diferentes pontos de vista em alguns aspectos, os objetivos finais de ambas as bandas são muito parecidos, sendo assim, entrar em acordo foi mais fácil do que imaginávamos.

HM: ‎Vocês se inspiraram em alguma outra banda que já teve esse tipo de iniciativa?

Valiria: Era uma vontade antiga que tínhamos e claro, depois disso a gente foi vendo que bandas de outras vertentes, ou de outros estilos, tem se juntado e criando o seu público e fazendo a cena as quais pertencem girar, e quando encontramos uma outra banda que, assim como nós, tinha os mesmos interesses, a mesma vontade de fazer algo que ajudasse a impulsionar a cena, foi aí que decidimos que esse era o momento de fazermos isso acontecer. Independente de qualquer coisa, a ideia é que as bandas se ajudem de forma conjunta e possamos criar o nosso nicho, de pessoas que curtem Metal com vocais femininos.

Anfear: A ideia já vinha martelando na mente há algum tempo, mas buscamos referências e nos inspiramos em propostas que vimos em festivais que unem bandas com ideias próximas como o “Levante do Metal Nativo” com bandas que falam sobre a cultura brasileira nas letras e o “Respeita as Minas” com bandas que possuem integrantes mulheres na formação. Porém, mais do que apenas possuir uma “front woman” na banda, nossa proposta visa as bandas que estão na área do rock voltadas ao metal sinfônico, gothic e melódico. Não nos lembramos de ter algum festival focado em bandas com essa roupagem, vemos pouco essa iniciativa por aqui.

HM: ‎Que objetivo vocês pretendem atingir com o festival? O que os fãs podem esperar?

Anfear: Nosso objetivo maior é que nossos ouvintes possam conhecer o trabalho das outras bandas que possuem uma pegada parecida com a nossa e vice-versa. Divulgando assim o trabalho de todos, ampliando o público uma das outras e assim proporcionar aos fãs mais opções de bandas para conhecer e curtir. Neste festival inclusive, teremos algumas surpresas e sorteios para incentivar a participação da galera nos shows do começo ao fim. Esse é nosso primeiro evento produzido de maneira totalmente independente, então estamos aprendendo muita coisa em todo o processo, acreditamos que tudo será fantástico, estamos nos esforçando e trabalhando muito para o sucesso do evento. Colocamos nossas almas nisso, então acredito que os fãs podem esperar um evento com uma energia muito positiva e uma grande apresentação de cada uma das bandas.

Valiria: Nosso principal objetivo é proporcionar um evento de boa qualidade, totalmente independente e trazendo algo diferente na cena de shows de São Paulo, e também a união com outras bandas onde podemos misturar experiências e tribos e emoções e unir mais o cenário, com o festival queremos mostrar que ainda há bandas que buscam trabalhar e trazer bons eventos, organizados e que é possível, com muito trabalho. Eles podem esperar uma grande festa, com sorteios, boa musica, um ambiente bem descontraído, uma grande comemoração com nossos fãs e amigos!

HM: ‎Vocês acreditam que a cena do metal ainda é um lugar hostil para as mulheres?

Valiria – Laís: Pessoalmente nunca passei por nada drástico, mas a minha experiência pessoal não anula a de outras tantas amigas e colegas que conheço que já passaram por situações bem difíceis por serem mulheres no metal. Acredito que melhorou, mas tem muito a melhorar, basta ler uns comentários por aí para perceber que o caminho ainda é longo.

Anfear: Lutamos para que seja tão normal a mistura nas bandas a ponto de o público parar de contabilizar mulheres e homens nas bandas, pois isso não tem sentido. O foco deve ser a música e a arte. Acreditamos que a hostilidade está ficando no passado, ainda temos menos mulheres na cena do que poderíamos ter, mas isso está sendo mudado a cada dia. O importante é valorizar a presença feminina tanto quanto a masculina para que as meninas não se sintam inibidas, principalmente em relação a suas famílias e amigos, a fazer parte das bandas tocando qualquer instrumento que seja e/ou cantando o que gostam.

HM: ‎Quais são os planos para o futuro de ambas as bandas?

Anfear: A Anfear está na luta para terminar o single “Iracema” e pretende lançá-lo em breve acompanhado de algumas surpresas. Já estamos com o repertório do álbum definido há algum tempo, os mapas e arranjos foram concluídos para iniciar as gravações. Além disso, pretendemos realizar mais shows junto com a Valiria e almejamos conseguir estrutura e apoio financeiro para sair da cidade de São Paulo e também convidar bandas de fora que possuem estilo parecido, como a BrightStorm, Opera Queen, Dixie Heaven, entre outras, para estarmos juntos no palco. Seria animal conseguir juntar em um único evento toda essa galera.

Valiria: Temos mais algumas músicas prontas para serem lançadas em breve e estamos muito animados com isso. Quanto ao evento, acreditamos que crescermos juntas é o maior desejo. Esse show pode não só abrir leques para novas oportunidades, mas também pode nos dar uma visão mais clara do nosso público, e é claro, estendê-lo mais. Esse esforço não depende só da gente, mas também do público, então convidamos a todos para irem lá no dia 11 e fazerem parte dessa história!

Além de música boa, vão rolar surpresas e sorteios durante as apresentações. Então fica aí o convite pra você que ainda não tem programa pra sábado á noite! E pra quem tem banda: vamos apoiar pro festival ter sempre mais edições e suporte!

Mais informações:

Horário: 19h.
Ingressos: diretamente com as bandas ou online.
Local: Espaço Som – Rua Teodoro Sampaio, 512, Pinheiros/SP. Próximo ao metrô Clínicas.

Stephany Nusch

Stephany Nusch

Estudante de Produção Musical e Showbusiness, é apaixonada por metal desde o início da adolescência. É bastante fã de literatura fantástica e de gatinhos. Acredita que toda arte tem seu valor e manda "Come to Brazil" nas redes sociais das bandas sem um pingo de vergonha na cara.

Topo ▲