5 bandas de progressivo para você ouvir – pt. 1 Listas

5 bandas de progressivo para você ouvir – pt. 1

19 de outubro de 2017 | Amanda Dugin

O gênero progressivo – tanto no metal quanto no rock – foi crescendo dentro de mim aos poucos. Confesso que ainda tenho um problema com suas bandas mais clássicas, como Dream Theater, Queensrÿche e Yes, por exemplo. No entanto, essa nova leva de bandas mais “atuais” e os subgêneros emergentes (como o Djent) têm me conquistado a cada dia que passa.

Aliás, eu nunca imaginava que iria gostar tanto do gênero como tem acontecido – e que surpresa boa! Conhecer novas bandas e se aprofundar em estilos musicais pouco conhecidos é sempre uma experiência divertida, e até mesmo enriquecedora. Como eu já fiz alguns posts sobre Djent no site nesses últimos meses, resolvi fazer uma lista indicando 5 bandas de metal/rock progressivo para você ouvir ou conhecer melhor.

Curioso para ouvir o que separei? Então confira a lista abaixo:

5. Haken

A banda inglesa com uma década de carreira já lançou um EP e 4 álbuns de estúdio. O último álbum lançado, “Affinity” (2016), foi extremamente bem recebido pela crítica e, apesar de não ser um álbum conceitual, fala sobre temas recorrentes, como: a evolução da computação e da humanidade; a sociedade moderna; o comportamento humano, além de perguntar se a inteligência artificial conseguirá superar a capacidade humana para criar/recriar a vida. Uma curiosidade é que Einar Solberg, vocalista do Leprous (spoiler: também está na lista) fez uma participação especial na música “The Architect”, uma das melhores do álbum.

Ouça: Haken – 1985

4. Karnivool

Essa é a banda que escuto há mais tempo na lista, e ela só está na 4ª posição porque infelizmente não lança álbum novo desde 2013. Eu sei, isso não é nada comparado ao Tool, mas já é o suficiente para deixar os fãs com saudades. A banda australiana lançou até o momento 3 EPs e 3 álbuns de estúdio e é uma das minhas preferidas do gênero. Em maio desse ano, a página da banda no Facebook avisou que “novos sons estavam por vir”, mas desde então não temos nenhuma atualização sobre material novo. O jeito é torcer que a banda não tenha o mesmo destino do Tool.

Ouça: Karnivool – All I Know

3. Ne Obliviscaris

Pelo visto a Austrália é um ótimo país para formar bandas de progressivo, pois essa é mais uma delas. A banda tem 3 EPs e 2 álbuns de estúdio lançados, além de estar para lançar um novo álbum, intitulado “Urn”, em 27 de outubro. Ou seja, pode aguardar resenha no site – não é mesmo, senhorita Gabriela Fernandes? Para promover o vindouro álbum, a banda lançou 3 singles que estão disponíveis na conta do YouTube da gravadora Season of Mist. Se o álbum estiver tão bom quanto os singles, então com certeza não decepcionará.

Ouça: Ne Obliviscaris – Intra Venus

2. Caligula’s Horse

Vocês vão achar que estou de sacanagem, mas é sério: temos mais uma banda australiana na lista. Com um EP e 4 álbuns de estúdio lançados, tive o prazer de descobrir a banda recentemente e já estou surpreendida com a sua qualidade. Principalmente depois que descobri que ela está na ativa há apenas 6 anos. Falando em Gabriela Fernandes, nossa amiga e redatora fez uma resenha do novo álbum da banda, “In Contact“, que foi lançado em setembro desse ano. Uma ótima indicação caso você ainda não conheça.

Ouça: Caligula’s Horse – Will’s Song (Let The Colours Run)

1. Leprous

A banda noruguesa tem 2 CDs demo, um álbum ao vivo e 5 álbuns de estúdio lançados. Em agosto desse ano, lançou um álbum maravilhoso que você precisa ouvir para ontem caso ainda não conheça. Inclusive, nossa amiga e redatora Stephany Nusch também fez uma resenha sobre o álbum, intitulado “Malina“, que vale muito a pena ler. Me sinto totalmente imersa em suas músicas que trazem uma extensão de técnicas e ritmos diversos, mostrando toda a versatilidade da banda – não somente no instrumental, quanto também no incrível vocal de Einar Solberg.

Ouça: Leprous – From The Flame

E aí, qual banda ficou faltando na lista? Qual você mais gosta? Deixe a resposta nos comentários!

Amanda Dugin

Amanda Dugin

Começou a ouvir metal aos 13 anos e desde então não quer saber de outra vida. Planeja espalhar a palavra do Djent por este país. Apaixonada por livros, séries e HQs. Acredita em teorias da conspiração mais do que deveria. Considera a escrita uma forma de terapia tanto quanto a música.

Topo ▲